Sexta, 17 de Setembro de 2021
22°

Chuva fraca

Vitória - ES

Política COLUNA JK

Barril de pólvora

Na Câmara de Vitória, a sessão promete ser tensa

14/02/2021 às 11h42 Atualizada em 16/02/2021 às 22h59
Por: Daniele Bolonha Fonte: AgoraES
Compartilhe:
Barril de pólvora

Por Gleberson Nascimento

Com o feriadão adiado, o clima de festa da segundafeira de Carnaval, com direito a paetê e serpentina, deve dar lugar à calmaria, certo? Não para os vereadores da Câmara de Vitória, onde a sessão promete ser tensa, com muito bate-boca e protestos.

É que o presidente da Casa, vereador Davi Esmael (PSD), marcou para 8 horas a votação do projeto Infância Sem Pornografia, do colega Gilvan da Federal (Patriota), que deve colocar em lados opostos, mais uma vez, os vereadores conservadores e liberais.

Aliado do presidente Jair Bolsonaro, Gilvan quer proibir material escolar obsceno, pornográfico e de sexo explícito nas escolas municipais. Alega que esses conteúdos não são necessários para uma educação sexual de qualidade, para ensinar as crianças sobre doenças venéreas, DST ou possibilidade de uma gravidez indesejada.

Para isso, ele se apoia no projeto da deputada estadual Ana Campagnolo (PSL), de Santa Catarina, que ficou famosa e foi processada por pedir a estudantes que delatassem em vídeo os professores inconformados com a vitória de Bolsonaro.

A proposta de Gilvan deve ganhar o repúdio das vereadoras Karla Coser (PT) e Camila Valadão (Psol) e também de parte dos professores da capital.

Volta ao Império?

O embate entre direita e esquerda na Câmara Municipal de Vitória deve esquentar este ano. Uma prova disso é que o vereador Gilvan da Federal (Patriota) apresentou na sessão uma bandeira do Brasil Imperial, destacando o lema: Deus, Pátria e Família, recitou o intelectual baiano Ruy Barbosa e fez discurso pela volta da Monarquia, com críticas à República.

Foice e o martelo

“Aqui jamais apresentarei a bandeira com a foice e o martelo”, declarou Gilvan, em alusão aos símbolos que representam a classe trabalhadora, incorporado à bandeira vermelha da ex-União Soviética e que representam o comunismo. Foi rebatido pela vereadora do Psol Camila Valadão: “parece que isso está afetando a condução da Casa. Estamos num regime democrático!”

Reconciliação?

O ex-casal formado por Reginaldo Almeida e Lauriete Rodrigues estarão lado a lado novamente à frente do PSC regional. Enquanto o ex-vereador de Vila Velha fica na presidência, a deputada federal será a vice. Indagado sobre a possibilidade de uma reaproximação também na vida pessoal, Reginaldo deixou claro: “a relação é política!” O tempo dirá.

Briga caseira

Os deputados Bruno Lamas e Sergio Majeski, ambos do PSB, devem protagonizar os maiores embates na recém-formada Comissão de Educação da Assembleia Legislativa. Majeski foi o único a votar contra na chapa encabeçada por Bruno, mas sofreu dupla derrota: a chapa foi eleita e sua sugestão de manter as reuniões quinzenais foi barrada. Os encontros serão às terças-feiras, das 13 às 14 horas.

À fórceps

O deputado Danilo Bahiense (sem partido) bateu o pé, ganhou a adesão das associações de policiais, mas perdeu o comando da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa para Luiz Durão (PDT), soldado do Palácio Anchieta. Seu prêmio de consolação foi a Comissão de Proteção à Criança e ao Adolescente e de Política sobre Drogas, que era comandada pelo ex-deputado Lorenzo Pazolini (Republicanos).

Rapidinhas

Obsessão - O ex-deputado Carlos Manato (sem partido) só aguarda o presidente Jair Bolsonaro para se filiar ao Patriota ou PTB e concorrer de novo ao governo em 2022. Na bagagem garante que leva a mulher, a deputada federal Soraya Manato e os estaduais Danilo Bahiense, Carlos Von, Torino Marques e Capitão Assumção.

Escola militar O prefeito de Cariacica, Euclério Sampaio (DEM), se prepara para implantar a primeira escola cívico-militar do município, que será no bairro de Itanguá. A Ordem de Serviço está prevista para ser dada ainda este mês. “Será modelo para todo o Estado!”, garante Euclério.

Hospital de campanha - A senadora Rose de Freitas (MDB) aprovou projeto que mantém hospitais de campanha ativos até a vacinação de 70% da população. Alega que essas unidades “são muito importantes para o desafogo da rede pública”. Medida só vale para cidades onde os hospitais foram implantados.

Homenagem ao pai - O vereador de Vila Velha Leo Victor Damascena Salles (PTC), o Léo Pindoba, fez uma moção de aplauso para Marcio Borges Salles, conforme publicado no Diário do Legislativo do dia 1º de fevereiro. Ela até passaria despercebida, se o homenageado não fosse seu próprio pai.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários