Sexta, 12 de Agosto de 2022
26°

Poucas nuvens

Vitória - ES

Cotidiano Gabriel Monteiro

Ministério Público do Rio denuncia vereador por importunação sexual

Os crimes estão previstos nos artigos 215A e 216A do Código Penal

24/06/2022 às 18h58
Por: Agora ES Fonte: Agência Folhapress
Compartilhe:
Foto: Reprodução/Internet
Foto: Reprodução/Internet

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) denunciou nesta sexta (24) o vereador Gabriel Monteiro por importunação e assédio sexual. O processo tramita agora no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) em segredo de Justiça. 

A denúncia foi feita com base no inquérito da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) da Polícia Civil, em Jacarepaguá, e apresentada pela 2ª Promotoria de Justiça de Investigação Penal Territorial da área Zona Sul e Barra da Tijuca. As informações são da Agência Brasil.

O vereador foi denunciado no dia 14 por importunação e assédio sexual. Os crimes estão previstos nos artigos 215A e 216A do Código Penal. O TJRJ recebeu a denúncia na segunda-feira (20), que, de acordo com o tribunal, está em segredo de justiça por se tratar de um crime de violência sexual. Nesses casos, a Justiça deve preservar a identidade da vítima.

Youtuber e ex-policial militar, Gabriel Monteiro está em seu primeiro mandato e foi o terceiro vereador mais votado do Rio de Janeiro nas últimas eleições municipais. Ele é alvo de denúncias de estupro, assédio sexual e moral e por forjar vídeos na internet. As denúncias foram reveladas em reportagem do programa Fantástico, da TV Globo, no fim de março.

Monteiro tornou-se réu na Justiça do Rio de Janeiro, em maio, sob acusações de filmar relação sexual com uma adolescente. Os relatos foram confirmadas por ex-assessores do vereador, que passou a responder a processo no Conselho de Ética da Câmara Municipal do Rio de Janeiro por quebra de decoro parlamentar --com possível pena de cassação do mandato.

Em nota, os advogados do vereador, Sandro Figueiredo e Pedro Henrique Santos, dizem que a denúncia foi feita por ex-assessores do parlamentar, que "já confirmaram trabalhar para a máfia do reboque em depoimento no Conselho de Ética da Câmara e, que na ocasião, outros funcionários estavam dentro do carro com a suposta vítima e desmentiram na delegacia sua versão de assédio. Vale ressaltar ainda que a pessoa só registrou a ocorrência horas antes da reportagem do Fantástico ir ao ar."

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários