Sexta, 12 de Agosto de 2022
26°

Poucas nuvens

Vitória - ES

Política Observatório

A gestão pública caminha para o Governo 4.0

O termo Governo 4.0 nasce do conceito de Indústria 4.0

12/03/2022 às 19h39 Atualizada em 12/03/2022 às 19h54
Por: Agora ES
Compartilhe:
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

César Albenes

O termo Governo 4.0 nasce do conceito de Indústria 4.0. Este último, por sua vez, está associado à ideia de Revolução Industrial 4.0, que marca as grandes mudanças tecnológicas ocorridas nos últimos anos na sociedade.

O conceito de Revolução 4.0 faz referência à Revolução Industrial, ocorrida em meados do século XVIII, sobretudo na Inglaterra, quando os processos de manufatura são profundamente alterados.

A Indústria 4.0 é caracterizada pelo uso ilimitado de recursos tecnológicos para aumentar a produtividade, eficiência e propiciar, desse modo, o desenvolvimento de produtos e serviços em larga escala.

O uso da tecnologia de ponta para acelerar o desenvolvimento econômico das instituições privadas não é exatamente uma novidade. O que tem surpreendido mesmo é a absorção desses ‘modos de operação’ tecnológicos pelo setor público.

O que caracteriza os Governos 4.0? O futuro está aqui. E não só para a iniciativa privada, mas também para os órgãos públicos. A Indústria 4.0 abriu espaços e modos de se potencializar a produtividade da iniciativa privada.

A implantação de tecnologias como um meio que pode garantir máxima entrega de serviços e eficiência estimulou os governos a absorverem formas mais precisas de administração.

Em um mundo cada vez mais competitivo, as gestões públicas têm trabalhado para conseguir acompanhar as rápidas mudanças que acontecem todos os dias.

Governos 4.0 podem ser caracterizados a partir da absorção de tecnologias voltadas para melhorar a relação entre Estado e sociedade.

Os principais aspectos desses modos de gestão são quase sempre os mesmos: melhorar a eficiência, a produtividade, a segurança e a facilidade nos fluxos dos serviços.

Conheça a seguir as características básicas que podem estar, parciais ou completamente inseridas, em Governos 4.0. e, no nosso próximo artigo, continuaremos apresentando as principais características do Governo 4.0. 

Digitalização

A digitalização de serviços é um dos primeiros passos para a transformação dos modelos convencionais de gestão. Digitalizar consiste basicamente em substituir uma atividade que é feita manualmente por fluxos digitais. Na prática, uma parte significativa do funcionamento de uma instituição acontece em um mundo virtual, a partir de algoritmos e com a ajuda da tecnologia. A digitalização é um dos aspectos mais básicos dos Governos 4.0.

Nem papel nem maquinário físico: Governo 4.0 é nuvem!

Se por um lado o gerenciamento de serviços públicos por meio do papel gera altos custos para os governos, por outro, o armazenamento em servidores físicos também não sai barato. A tecnologia de servidores físicos já é ultrapassada para Governos 4.0. O armazenamento em nuvens, que pode ter espaço ilimitado, o que significa poder infinito de armazenamento, permite às empresas mais segurança na administração de dados e maior facilidade para acessar recursos computacionais. Os altos investimentos em modos convencionais de gerenciamento são substituídos por hospedagem em um tipo de Datacenter, que não ocupa espaço físico e pode ser acessado por diferentes dispositivos remotos. Nesse sentido, a economia gerada com essa característica da revolução digital 4.0 pode ser direcionada às atividades principais e mais estratégicas de uma organização.

AI

A ideia de Artificial Intelligence (Inteligência Artificial) utiliza análises avançadas para se tomar decisões baseadas em lógicas, sem a intervenção humana. A Inteligência Artificial ainda é um mecanismo pouco usado nos serviços públicos brasileiros. Mas, já podemos notar, por exemplo, que algumas plataformas de digitalização já possuem uma espécie de serviço que automatiza a entrada e a saída de requerimentos sem a necessidade de atuação humana.

A automatização reduz a entrada de requerimentos com dados incompletos. Isso evita que um funcionário público, por exemplo, comece a analisar um pedido de alvará sem que todos os dados necessários tenham sido submetidos ao órgão competente. O sistema, de forma automática, e que também é pré-configurado, sinaliza para quem está solicitando o serviço o que deve ser feito para dar continuidade no processo.

Dr. César Albenes de Mendonça Cruz é Filósofo, Mestre em Educação, Doutor em Serviço Social, Pós-Doutor (PHD) em Política Pública, Professor Universitário, Consultor Político e secretário de Desenvolvimento de Viana.

CONFIRA A EDIÇÃO 63 DO JORNAL AGORA ES

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Observatório da Política Pública
Observatório da Política Pública
Sobre Dr. César Albenes de Mendonça Cruz é Filósofo, Mestre em Educação, Doutor em Serviço Social, Pós-Doutor (PHD) em Política Pública, Professor Universitário; Consultor Político; e secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Viana.
Vitória - ES Atualizado às 12h13 - Fonte: ClimaTempo
26°
Poucas nuvens

Mín. 18° Máx. 26°

Sáb 25°C 18°C
Dom 26°C 16°C
Seg 27°C 18°C
Ter 28°C 17°C
Qua 24°C 16°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Anúncio