Terça, 07 de Dezembro de 2021
21°

Nuvens esparsas

Vitória - ES

Saúde Vida Feliz

Nem culpado nem vítima

Ao invés de perguntar, por que isso está acontecendo comigo, mude para: o que eu preciso aprender com isso?

23/10/2021 às 09h21
Por: Agora ES
Compartilhe:
Nem culpado nem vítima

Por Jane Mary

Ao invés de perguntar, por que isso está acontecendo comigo, mude para: o que eu preciso aprender com isso? Se quiser ir mais fundo, indague-se: o que eu fiz para atrair esse acontecimento para a minha vida?

É assim que a coisa funciona... são os nossos pensamentos, sentimentos e ações que determinam os acontecimentos da nossa vida. O problema é que agimos a maior parte do tempo no automático, sem pensar no que estamos fazendo, e quando a fatura chega, vem o susto com o tamanho da conta e a sensação de injustiça: por que Deus está fazendo isso comigo?

Quem já não se fez esta pergunta um dia? Deus não tem nada a ver com a história, Ele nos fez puros e perfeitos. Se no decorrer da nossa caminhada decidimos passar por atalhos que pareciam mais sedutores, Deus não pode ser responsabilizado pelo resultado final.

Ninguém sofre por ser inocente e nada acontece por acaso. Cada um está na experiência que programou para viver. A vida é eco... tudo que sai de mim retorna a mim com intensidade maior.

Assumir total responsabilidade sobre os nossos pensamentos, sentimentos e ações é prova de maturidade espiritual. Quanto mais depressa você se responsabilizar pelo que acontece na sua vida, mais depressa você se livra da situação que está te incomodando. 

E responsabilidade não tem nada a ver em permanecer na culpa se martirizando ou se sentindo a pior pessoa do mundo. Entenda que você atraiu a experiência que precisou viver, necessita dela para evoluir. Ela é bem vinda porque é necessária.

Existe uma inteligência maior que nos leva ao encontro do que necessitamos viver para que possamos evoluir. Portanto, não existe a figura do culpado e nem da vítima, só existe a experiência. O negócio é aprender a lição e seguir em frente.

A gente pode cair centenas de vezes, não há nada errado com o erro – ele é absolutamente necessário, faz parte da construção dos nossos acertos. A vida é uma velha sala de aula e é permitido errar enquanto se aprende. A gente só não pode perder as lições. Só não pode se distrair no papel da vítima, do coitadinho ou da coitadinha, e muito menos responsabilizar quem quer que seja pelas nossas experiências.

Quando você compreende uma situação e percebe que precisa mudar alguma coisa em sua vida para que a experiência não se repita, significa que você aprendeu a lição e está pronto para a próxima experiência. Isso é maturidade espiritual.

Por erros e acertos, por caminhos e descaminhos, entre lágrimas e risos, entre vales e montanhas, caindo e levantando, caminhamos sempre na direção da nossa fonte original de luz. 

Jane Mary é jornalista, consultora de marketing, autora de oito livros de autoconhecimento. (site: janemary.com.br)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários